• (43) 3557-1516
  • Seg - Sex: 9h00 - 12h00 | 13h00 - 16h00
<

 cobrança do Comando Nacional dos Bancários, o Itaú comunicou, na tarde desta terça-feira (24/03), que suspenderá as demissões durante a pandemia de coronavírus, a não ser no caso de justa ou desvio ético.

O banco informou também que os trabalhadores que mantiverem a média dos últimos 3 meses no programa Agir, ou piso de no mínimo 1.000 pontos do segundo maior, não terão perdas neste momento. De acordo com o Itaú, está sendo montado um forte plano para redução da operação, de modo que mais bancários trabalhem de casa.

Em Londrina, no dia 16/03 o banco dispensou, sem justa causa, um funcionário, mesmo já tendo sido reconhecido pela OMS (Organização Mundial de Saúde) o estado de pandemia do novo coronavírus.

“Essa é uma vitória da atuação movimento sindical na defesa da saúde dos bancários. A suspensão das demissões traz maior tranquilidade ao trabalhador. O momento exige que a vida das pessoas seja priorizada e consideramos de extrema importância garantir tranquilidade e segurança aos trabalhadores neste difícil período”, enfatizou a presidenta do Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, Juvandia Moreira.

“Nossa cobrança é para que as metas sejam totalmente suspensas enquanto durar a pandemia de coronavírus. Não faz sentido que as metas sejam cobradas como se não houvesse uma gravíssima crise a ser enfrentada no país e no mundo. Além disso, para preservar a saúde de clientes e bancários, reivindicamos que somente sejam realizados nas agências atendimentos considerados essenciais como compensação bancária, redes de cartões de crédito e débito, caixas bancários eletrônicos e outros serviços não presenciais”, acrescentou Juvandia.

Anteriormente, o Itaú já havia anunciado a antecipação do pagamento do 13° salário integralmente aos funcionários até o dia 27 de abril e o horário de atendimento diferenciado.

Fonte: Contraf-CUT

DEIXE O SEU COMENTÁRIO